Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Arte de David Oliveira

por neves, aj, em 30.07.08

A Arte não é Vida
se a Vida não for uma Obra de Arte

David Oliveira

Ao contrário do que possa parecer atente-se que hoje não pretendemos explorar a (riquíssima) vida de um dos vultos santacombadenses que mais tem contribuído para a divulgação do nome da nossa ditosa mãe-terra nem mesmo desenvolver artigo sobre a sua arte de esculpir que tornou este homem poli-facetado e de estilo bem popular num dos mais notáveis nomes da medalhística portuguesa. Esta entrada nasceu com o intuito de darmos a conhecer uma obra em vídeo de um outro santacombadense, um jovem ainda estudante, que de forma sábia escolheu a Arte de David Oliveira para apresentar como trabalho académico de final de ano,  no quesito Documentário,  na escola superior de áudio-visuais que frequenta. Mas claro que ao fazermos esta divulgação, juntamos o útil ao agradável e assim espalhamos obrigatória e prazenteiramente o nome de David Oliveira e sua obra pela rede das redes.
O trabalho do Eduardo Correia Pinto, um jovem filho de uma tradicional família santacombadense que conhecemos muito bem e da qual nos consideramos amigo, está dividido em três partes (três vídeos) por questões de edição e está alojado no Youtube. Incide esse filme, como dissemos, na obra de David Oliveira e apesar de não possuirmos capacidade de avaliação crítica nem talvez a isenção necessária, confessamos que apreciámos bastante o que o Eduardo nos mostra, prendendo-nos a atenção em sequência bem conduzida das várias formas de arte do senhor David [um pouco de David Oliveira pela pena de Cristina Correia Pinto em Sábios Mestres].
Ao estimado visitante deixamos as ligações a cada um dos vídeos, em tons de verde e em democrática homenagem ao sportinguismo do sr. David.
Ei-las [um clique sobre cada um dos títulos]:

David Oliveira, Uma Obra Viva - Parte I
David Oliveira, Uma Obra Viva - Parte II
David Oliveira, Uma Obra Viva - Parte III

Em remate não poderemos deixar de dar os parabéns ao Eduardo, também mentor do maSs production, não só pelo trabalhado realizado mas essencialmente por ter escolhido como argumento de divulgação a obra desenvolvida por um artista seu (nosso) conterrâneo, da eternamente bela cidade de Santa Comba Dão, e de enviar um abraço mui forte e sentido ao senhor David Oliveira (a quem damos os parabéns pelos seus dotes cinematográficos) e também a sua esposa D. Lídia sempre muito bem na arte de driblar os anos, não esquecendo claro os amigos que fazem parte do clã Pereira Oliveira.
Saudações transatlânticas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:42

Recordações em dia sombrio

por neves, aj, em 26.07.08

26 de Julho

6 anos
PhotobucketO dia amanhece sem Sol e com céu enevoado, afinal estou no Inverno, cinzento como a mente talvez porque sei o que tenho a fazer o que tenho de escrever mas  não sei como e, inevitavelmente, recordo uma das mais enigmáticas frases que um dia escrevi influenciado pela escrita de Lobo Antunes: aquela hora já provável naquela improvável tarde de Sexta-feira. Lembro-me que àquela hora estava a aparar a barba no "Celestino barbeiro" e que pessoa respeitável no burgo me chamou de lado para me comunicar que o seu companheiro de profissão Zé Neves, meu pai, tinha acabado de falecer. Não fixei a hora nem me interessa para nada saber, sei que era hora mais que provável e que se não fosse naquela seria noutra, mas o que não entrou nas probabilidades que antes estabeleci é que fosse naquela Sexta-feira, logo naquela tarde em que tinha pensado ir dar umas tesouradas à barba e seguidamente rumar à Clínica de Repouso lá na ditosa Santa Comba Dão onde meu pai estava acamado havia uns dias. Quis a tal hora provável chegar mais cedo e impedir-me de ir, mas nem por isso me lamentei porque uma coisa que esta mente casmurra mas não obtusa não suporta, tornando-se-lhe custoso e revoltante, é ver como a doença nos rouba lentamente a vida de um modo tão indigno que a leva a pensar, à tal mente que ainda me acompanha, que a passagem jamais pode ser atribuída a um bom deus omni isto e aquilo. A folha de Julho marcava o dia 26 e estávamos no ano de 2002, uma Sexta-feira, curiosamente três semanas depois de ter ido oferecer uma rosa para assinalar os 26 anos da partida da Rosa, minha mãe, e outras três (mais três dias) antes de rumar a estas paragens.

31 anos
Não podia deixar de me aflorar à mente, e pela primeira vez aqui no Voz creio eu, o nascimento de um dos meus sobrinhos neste dia de 26 de Julho, do ano de 1977, ao qual fiquei ligado por ter acompanhado meu irmão e minha cunhada na viagem para a Maternidade. Não sei se a mente me irá atraiçoar mas creio estar ciente que tudo teria começado às primeiras horas da madrugada do dia 25 (ou as últimas de 24) quando partimos para Coimbra (nesta altura eu andava por lá) e depois de termos internado a futura mamã rumámos ao Calhabé onde no número 6 da Travessa Dr. Elísio de Moura eu possuía quarto alugado em conjunto com outro colega e amigo. Meu irmão por lá se recolheu nesse resto de noite, mas só na Teça-feira é que serenou quando lhe anunciaram que era pai de um rapaz. Hoje meu sobrinho festeja o 31º aniversário e então aqui seguem os votos de parabéns que, curiosamente, não vão atravessar o Atlântico visto estarmos do mesmo lado embora ele esteja bem longe lá mais para norte.

54 anos
Este 26 de Julho é na verdade rico em lembranças. Por linhas travessas hoje fiquei a saber que este 26 de Julho é considerado marcante na vida de Cuba já que foi neste dia do ano de 1953 que Fidel e companheiros tentaram um primeiro derrube do ditador Fulgêncio Baptista no célebre ataque ao quartel de Moncada em Santiago de Cuba. Apesar de ter resultado em fracasso, este assalto de há 55 anos daria mais tarde os seus frutos com a vitória daRevolução. Soube-o e trago-o aqui a lume porque, aqui é que vem a lembrança dos 54, o amigo Mário da Toca do Lobo mo disse em convite endereçado para assistir à sua festa de aniversário já que foi neste dia 26 de Julho mas do ano seguinte, 1954, que lá pelo Bairro de Paranhos na Invicta cidade do Porto este Dragão que devia ser do "salgueiral" viu pela  primeira vez a luz do dia. Parabéns caro amigo e que o novo ciclo começado seja de Paz rodeada de felicidade e que, em pedido nada egoísta, ainda andemos por cá mais uns anos para continuarmos a trocar mensagens.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:04

Açúcar em pacotes

por neves, aj, em 25.07.08

(cremos que sem morangos)

CLICARVirá a propósito desta exposição de COLECÇÕES DE PACOTES DE AÇÚCAR (a realizar de 1 a 31 de Agosto na Biblioteca Alves Mateus sita na ditosa Santa Comba Dão) dizer que pelo Brasil, pelo menos por São Paulo, não existe o hábito de servir o cafezinho (café expresso, bica para os portugueses) com pequenos pacotes de açúcar, afinal a dose que se acha certa para temperar aquela deliciosa bebida reconfortante quer no Verão quer no Inverno. É verdade que já nos serviram café acompanhado de pacote de açúcar de forma cilíndrica em que a altura é muito maior que a base para se poder chamar de pacote e antes lhe chamássemos canudo fechado, mas por aqui a regra é facultar ao apreciador de café um açucareiro como nos bons velhos tempos em Portugal, opção a que não deve ser alheio o facto de o Brasil ser grande produtor daquele alimento que desde há séculos o homem aprendeu a extrair de uma cana.
Não podemos ser exactos mas não erraremos  muito se dissermos que conhecemos os pacotes de açúcar há umas três décadas e meia (por baixo) sendo que ainda nos lembramos de a bica ser servida em açucareiro e posteriormente com pequenos cubos de açúcar devidamente embalados em doses individuais. O Pacote de Açúcar, inicialmente em doses de 12-15 gramas talvez (hoje menos de 10g), revolucionou a forma de trabalhar nos estabelecimentos da especialidade  (cafés e pastelarias, em suma a padaria por terras brasileiras) transmitindo a ideia de maior higiene, ser de uma praticidade espectacular e poupando inclusive uns cobres ao proprietário que não se via obrigado a estar fornecido de quantidade substancial de recipientes, os açucareiros, já o que se via bastas vezes era o empregado de mesa (o garçom) ser obrigado a cirandar de mesa em mesa a perguntar a cada cliente se já se tinha servido para que outro o pudesse fazer. Produto verdadeiramente revolucionário, registe-se, portanto.
Resta ainda dizer que a colecção de pacotes de açúcar se tornou possível graças à publicidade, comercial e institucional, feita neles que por variadíssima permite aos entusiastas coleccionadores se dedicarem a um passatempo que embora por vezes se possa tornar dispendioso (depende dos objectos a coleccionar) tem a grande vantagem de despertar a capacidade organizativa e de até  juntar a família à sua volta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:30

Alves Mateus sugere Prémio Camões

por neves, aj, em 21.07.08

PhotobucketUma das sugestões de leitura que a Biblioteca Municipal Alves Mateus da nossa cidade de Santa Comba Dão nos oferece para esta semana é A Ordem Natural das Coisas de António Lobo Antunes, autor português já consagrado que, curiosamente, irá receber no próximo dia 25 de Julho o Prémio Camões 2007 das mãos dos Presidentes da República de Portugal e do Brasil, respectivamente Cavaco Silva e Lula da Silva. Este ano a cerimónia de entrega do mais alto galardão literário em português, criado em 1988 por aqueles dois países lusófonos, terá lugar na capital portuguesa.
Sobre o Prémio e sobre o escritor já algumas vezes proposto para o Nobel da  Literatura e que está a começar a ser, finalmente, divulgado pelo Brasil pode o caro leitor esclarecer-se acedendo ao Blogue da Embaixadajá que agora é nosso desejo louvar aquela forma de motivação de leitura da parte da Biblioteca ao recomendar no sítio oficial da Autarquia e nos jornais regionais um ou dois livros por semana do seu vasto "fundo documental" convidando o leitor a visitar o seu espaço e fazer a requisição para empréstimo domiciliário gratuito da obra que desejar. Verdade que estas propostas não são de agora tanto que nós antes de atravessarmos o Atlântico (e estamos por cá há seis anos) já aproveitávamos essas benesses, mas nunca é demais fazer destaque para lembrar que a Biblioteca Municipal Alves Mateus está à disposição dos santacombadenses (e não só, claro) que poderão ainda usufruir da consulta a livros técnicos e leitura de jornais e revistas.
Mas esta entrada dedicada à nossa Biblioteca e a Lobo Antunes traz um pouco de água no bico, já que desejamos endereçar um pedido aos responsáveis da citada e em especial ao Pelouro da Cultura da Autarquia que a administra. Esse pedido é simples, muito simples e só necessita de um scanner, de boa vontade e claro, de alguém brioso no que faz (nem é necessário ser grande técnico) para colocar na rede das redes as páginas do livro Nas Terras do Grão Pará existente na Biblioteca e da autoria do santacombadense Henrique Gonçalves (pai do distinto Lauro Gonçalves) que nos narra a sua epopeia por terras amazónicas nos princípios do século passado. Acreditai ó gente da minha terra que dos esquecimentos que a mente nos vai oferecendo ao longo da vida, este de termos deixado na nossa santa terrinha as fotocópias (xerox) das páginas do referido livro foi desleixo que por vezes nos apoquenta e é lacuna que Voz do Seven lamenta bastas vezes. Se entretanto este texto for lido pela mais caridosa das almas que tenha possibilidade em satisfazer-nos este capricho e tenha um scanner à mão, pois que nos envie as imagens das páginas que nós trataremos de compilar a obra em documento PDF e colocá-la no ar, embora arriscando uma chamada de atenção da parte dos legítimos proprietários dos direitos autorais, mas estamos cônscios que não seremos chamados à pedra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:04

Festa em Santa Comba Dão

por neves, aj, em 20.07.08

Esta semana há festa no Espaço Santa Comba. É o FREGUESIA EM FESTA. É uma organização da Junta de Freguesia e podemos considerar que é uma festa caseirinha com artistas santacombadenses e das redondezas. Digno de nota é a realização da II Mostra Gastronómica.

JULHO
24
, 25, 26 e 27

AGOSTO
 13
, 14, 15, 16 e 17

Photobucket Photobucket

entrada livre

entrada paga (5 euros)
dias
15
e 16

Mas para meados de Agosto teremos a Festa Grande, AS FESTAS DA CIDADE DE SANTA COMBA DÃO, chamadas antigamente também de Festas dos Bombeiros porque eram organizadas por esta Associação. É uma organização já mais ambiciosa e trará até terras da Beira nomes badalados da música portuguesa entre os quais José Cid que alegrou em tempos idos os agora cinquentões e sessentões e que há umas dezenas de anos, quase três talvez, não chegou a actuar numas Festas de Bombeiros realizadas no Largo da Feira devido a forte trovoada que interrompeu o fornecimento de energia eléctrica. Claro que o cachet do músico cantor dePortuguesa Bonita teve que ser pago, mas o homem, autor também de addio, adieu, aufwiedersehen, goodbye, garantiu ao povo voltar um dia gratuitamente... será que esta sua visita é o cumprimento da promessa ou promessas leva-as o vento?

Photobucket

Cada uma das imagens publicadas leva a cartaz/programa ampliado e atente-se que na véspera do início das Festas da Cidade, afinal do Concelho/Município, terá lugar a inauguração da ExpoColumba'08, a I Feira de Actividades Económicas Sociais e Industriais do Concelho que se prolongará até ao final das festas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:21

Cagido em Festa

por neves, aj, em 18.07.08

CLICAR

 

Não esquecer pessoal que hoje háFesta na Aldeia, de Cagido, talvez dia do ECastrinex meter o espicho no pipo... ficas-me a dever essa amigão... até um dia destes.


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:17

A mega-urbe

por neves, aj, em 18.07.08

Photobucket
clicar para ampliar

Enquanto as fotos da nossa ditosa Santa Comba Dão esperam em fila ordenada a vez de se exibirem, publicitemos a enorme urbe que nos acolheu em mega retrato que embora poluído tem a vantagem de vos revelar o horizonte que por vezes avistamos e que podendo parecer contra-senso admiramos demoradamente apreciando em detalhe os contrastes das edificações e das cores.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:19

Orgulhosamente agradecido

por neves, aj, em 17.07.08

(perdoem-me a imodéstia pela publicação)

PhotobucketLogo após as primeiras leituras do dia a minha condição de português, e santacombadense, elevou-se a patamar tão alto que hipotética condecoração no 10 de Junho que pudessem vir a conceder-me ficaria pelo rés-do-chão.

Caros Amigos
Quero agradecer-lhes a simpática referência feita ao nosso Blogue, que é mais um estímulo para o nosso trabalho, que hoje
recebe a devida referência.
Com amigos cumprimentos

Francisco Seixas da Costa
Embaixador de Portugal no Brasil


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:27

Desfile de Bombeiros

por neves, aj, em 16.07.08

Bombeiros Voluntários de Santa Comba Dão, note-se!

PhotobucketDiz-nos o sr. Carlos Ribeiro em notícia inserida na rubrica SE RECORDAR É VIVER, VAMOS RECORDAR do semanário Defesa da Beira que a foto (de sua autoria) retrata desfile dos Bombeiros Voluntários da nossa Santa Comba Dão no já distante ano de 1972.
Reza a legenda do cliché que estávamos no dia 10 de Dezembro (um Domingo, segundo apurámos) e que o carro que se avista em segundo plano é o emblemático Ford V8 conhecido popularmente como bomba velha para o distinguir do carro novo, umBedford, entretanto chegado e confessamos que nem sabemos se este desfile teria sido realizado para o recepcionar. Remata o nosso amigo dizendo que à frente do desfile seguiam "os mascotes que hoje já são bem mais crescidos"... verdade, sr. Ribeiro, e por consequência nós bem mais velhos só de nos lembrarmos que percorremos quilómetros com esse miúdo ao colo desde cedo quando ainda nem dizia pai nem mãe (nem tio) e hoje está à porta dos quarenta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:05

O óleo (alimentar) que se deita fora...

por neves, aj, em 16.07.08

Da AMI, Associação Médica Internacional, recebemos esta mensagem para divulgação

Talvez não saiba, mas o óleo alimentar que já não serve para si pode ainda ajudar muita gente. Em vez de o deitar fora, entregue-o nos restaurantes aderentes para que este seja recolhido. Além de diminuir a poluição do planeta, cada litro de óleo será transformado num donativo para ajudar a AMI na luta contra a exclusão social. Dê, vai ver que não dói nada.

 

Photobucket

 

Para participar neste projecto da AMI:

- Junte o óleo alimentar que usa na sua cozinha numa garrafa de plástico e entregue-a quando estiver cheia num dos restaurantes aderentes. Os restaurantes estão identificados e a lista completa está disponível em www.ami.org.pt

- Afixe cartazes no comércio da sua localidade e distribua folhetos nas caixas de correio. Solicite materiais, enviando um e-mail para reciclagem@ami.org.pt

- Divulgue esta informação no seu site ou blog;

- Encaminhe este e-mail para a sua lista de contactos.

 

Leia aquio mail na sua totalidade, tal como o recebemos, a partir do qual pode continuar com a corrente de divulgação enviando aos seus contactos.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:50

Pág. 1/2





  


 photo logoasminhasfotos_zps81358f6e.png

calendário

Julho 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031




Comentários recentes


Ligações

SANTA COMBA DÃO

NOTÍCIAS NO VOZ

FUTEBOL NO VOZ

INFORMÁTICA NO VOZ

LUSO IN SÃO PAULO

FOTOS NO FACEBOOK