Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O dia de minha mãe

por neves, aj, em 07.11.09

PhotobucketOntem, dia 6 de Novembro, foi o dia de minha mãe.
Levando em conta que na véspera tinha sido o meu dia, digamos que eu fui o presente no seu 34º aniversário. Rica prenda, modéstia à parte. Ontem, se a doença não a tem apoquentado mortalmente há quase três dezenas e meia de anos, minha mãe festejaria 88 anos. Portanto, na altura da partida minha mãe ainda não tinha atingido os 55 anos, tendo assim apenas vivido cinquenta e quatro anos mais oito meses e menos um dia. Atente-se que estas contas tão matemáticas só terão validade se, com muita boa vontade, pudermos chamar vida aos dias e meses (ou anos) vividos no estágio terminal de uma doença implacável. Porque na realidade, meus caros amigos e amigas, garanto-vos que não é vida, não senhor. Bem, como não temos por costume acrescentar à nossa idade os noves meses que passamos no ventre materno a Natureza parece que trata de os descontar no final da vida.
Ao lembrar-me que anteontem atingi a (citada) idade crítica dos 54 anos, constato (mais uma vez) o quanto faltou viver a minha mãe. Na altura (quando fiquei amputado de mãe) não cheguei a avaliar bem o que era morrer apenas com meio século mais uns trocados. Hoje, c'um raio, apesar de não ambicionar andar por cá eternamente nem sequer outros tantos, acho que quem tem cinquenta e quatro anos merece viver mais alguns. Não que eu ainda pretenda fazer algo de extraordinário (como não fiz o que deveria ter feito na altura certa, também não vou ser exigente) mas pelo menos "queria ver". Não, nada disso que podeis estar a pensar porque apesar de a vista estar a ficar fraca não porto mazela (penso eu de que...) que me possa levar à cegueira assim de um momento para o outro. Este "querer ver" refere-se a ambicionar ainda andar por cá para ter o prazer de usufruir. Mas verdade seja dita que aqui não me basta viver, é preciso que outros, principalmente uma terceira pessoa esteja pelos ajustes para satisfazer o desejo de qualquer pai quando começa a envelhecer.
Despeço-me enviando em pensamento as desculpas à Rosa minha mãe por só hoje evocar o seu dia e, nos entretantos, vou tratar de preparar o bacalhau que vai pro forno (e as batatas a murro), afinal tenho que aproveitar e como na Quinta-feira não houve tempo para festas, vou hoje comemorar os meus 54 anos que, curiosamente, quero depressa ultrapassados... idiotices!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:05

Chuva

por neves, aj, em 07.11.09

Chuva calma em momento efervescente de quentes recordações, porque as coisas vulgares que há na vida não deixam saudade... só as lembranças que doem ou fazem sorrir!


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:04




  


 photo logoasminhasfotos_zps81358f6e.png

calendário

Novembro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930




Comentários recentes


Ligações

SANTA COMBA DÃO

NOTÍCIAS NO VOZ

FUTEBOL NO VOZ

INFORMÁTICA NO VOZ

LUSO IN SÃO PAULO

FOTOS NO FACEBOOK