Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Papel higiénico preto...

por neves, aj, em 24.11.05

Papel higiénico pretovira moda nos banheiros sofisticados da Europa
(evocês não diziam nada?)

<imgsrc="http://img.photobucket.com/albums/v642/seven2005/diversos2/renova.jpg"alt="image>

Captámos a <ahref="http://noticias.uol.com.br/tabloide/tabloideanas/2005/11/23/ult1594u711.jhtm"target="_blank">notícia</a>

[Error: Irreparable invalid markup ('<fontsize="2">') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<p align="center"><font face="Times New Roman" size="3"><strong>Papel higiénico pretovira moda nos banheiros sofisticados da Europa</strong></font><br><font color="#FF0000" size="2" face="Verdana"><strong>(evocês não diziam nada?)</strong></font></p><p align="center"><imgsrc="http://img.photobucket.com/albums/v642/Seven2005/diversos2/renova.jpg"alt="Image hosted by Photobucket.com" width="345" height="75"></p><p align="justify"><font size="2" face="Verdana">Captámos a </font><ahref="http://noticias.uol.com.br/tabloide/tabloideanas/2005/11/23/ult1594u711.jhtm"target="_blank"><font size="2" face="Verdana" color="000000"><strong>notícia</strong></font></a><fontsize="2" face="Verdana"> na habitual ronda matinal pelos diversossítios e para nosso espanto ficámos a saber que o dito éproduzido em Portugal. Indagámos e através das páginas do </font><ahref="http://www.negocios.pt/default.asp?SqlPage=Content_Opiniao&amp;CpContentId=257515"target="_blank"><font size="2" face="Verdana" color="000000"><strong>Jornal deNegócios</strong></font></a><font size="2" face="Verdana">ficámos a saber que é mais um dos produtos da <em>FábricaRenova</em>, essa mesma, que é conhecida por todos como a doslenços de papel. Da <em>Renova</em> já conhecíamos a suacapacidade inovadora, mas jamais nos passaria pela cabeça que aimaginação chegasse tão longe... e verdade seja dita que(porque jamais a função será prejudicada pela cor) o papelhigiénico preto dará um toque de verdadeiro requinte em louça eparedes de azulejos de tons claros.</font></p><p align="justify"><font size="2" face="Verdana">No </font><ahref="http://www.wellbeingworld.com/" target="_blank"><fontsize="2" face="Verdana" color="000000"><em><strong>site</strong></em><strong> daempresa</strong></font></a><font size="2" face="Verdana">, em quea novidade é destaque, diz-se que caberá a cada um de nósdescobrir se esta autêntica revolução na arte da higieneíntima será produto ou objecto e publicita-se ainda que&quot;<b>... docemente perfumado com uma fragrância requintada,dará um novo toque ao ambiente da sua casa de banho...</b>&quot; </font></p><p align="justify"><font size="2" face="Verdana">Quanto ao custo doo </font><ahref="http://img.photobucket.com/albums/v642/Seven2005/diversos2/papelhigpreto1.jpg"target="_blank"><font color="#000000" size="2" face="Verdana"><strong>RenovaBlack</strong></font></a><font size="2" face="Verdana"> (se obranco não é <em>white</em>, não descortinamos a razão deeste não se chamar preto), aí é que as entranhas dão umaautêntica volta... 2 euros e 50 cêntimos, quase 7 reais por 1rolinho de papel... irra! Bem, é caro, mas é com asseio comodiz o povo e mais, se a família tiver aprovado o </font><ahref="http://img.photobucket.com/albums/v642/Seven2005/diversos2/papelhigpreto1.jpg"target="_blank"><font color="#000000" size="2" face="Verdana"><strong>RenovaBlack</strong></font></a><font size="2" face="Verdana"> entãopoder-se-á optar pela embalagem familiar, mais económica, com 6rolinhos ao <em>preço módico</em> de 6 euros, o que,convenhamos, ainda torna o Renova Black um luxo só ao alcance dealguns, contentando-se a maioria do povo em usufruir de talprivilégio apenas nos dias de festa.</font></p><p align="justify"><font size="2" face="Verdana">Resumindo,sofisticado ou não, é produto perfeitamente capaz de entrar noshábitos, porque, e já nem falamos da revolução na roupaíntima da mulher (e do homem), nunca ouvimos reclamar de casasde banho (banheiros) com paredes de azulejos pretos ou em tonsescuros que ficam superiormente embelezadas com rolos de papelhigiénico de cor branca.</font></p>

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:10

Discriminação na França

por neves, aj, em 24.11.05

[Error: Irreparable invalid markup ('<fontcolor="#008080">') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<p align="center" class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#008080" size="2" face="Verdana"><strong>(opinião deGoulart Medeiros</strong></font><font color="#008080"><b>)</b></font></p><div align="center"><center><table border="5" cellpadding="5" cellspacing="5" width="495"bordercolor="#FFFFFF"> <tr> <td align="center" bordercolor="#000080"><img src="http://img.photobucket.com/albums/v642/Seven2005/fotogoulart.jpg" alt="Image hosted by Photobucket.com" width="137" height="164"><br> <font color="#008080" size="2"><b><i>GOULART MEDEIROS</i></b></font></td> <td><font color="#000080" size="4"><b>Discriminação e Pobreza na França</b></font><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana"><strong>Mais de oito mil carros incendiados em quase 300 cidades; mais de 2600 pessoas detidas; e a bandeira &#147;</strong></font><font color="#008080" size="2" face="Verdana"><strong><b><i>We hate France and France hates us</i></b></strong></font><font color="#000080" size="2" face="Verdana"><strong>&#148; (</strong><strong><b>nós odiamos a França e a França nos odeia</b></strong><strong>). </strong></font></p> </td> </tr></table></center></div><p><a href="http://vozdoseven.weblog.com.pt/arquivos/215265.html"target="_blank"><font color="#0000FF" size="2" face="Verdana"><strong>quemé Goulart Medeiros</strong></font></a><br><a href="mailto:goulartmedeiros@hotmail.com"><fontcolor="#008080" size="2" face="Verdana"><b>goulartmedeiros@hotmail.com</b></font></a><br><a href="http://www.blog.comunidades.net/goulart/"target="_blank"><font color="#0000FF" size="2" face="Verdana"><b>GoulartMedeiros &#150; Democracia Directa</b></font></a></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#000080" size="2" face="Verdana">Mais de oito mil carrosincendiados em quase 300 cidades; mais de 2600 pessoas detidas; ea bandeira &#147;<b><i>We hate France and France hates us</i></b>&#148;(<b>nós odiamos a França e a França nos odeia</b>). Osprotestos, que começaram nos subúrbios de Paris em 27 deOutubro, multiplicaram-se por todo país nas duas últimassemanas. A resposta do Estado francês foi invocar uma lei de1955, que autoriza adopção de medidas de emergência, bem comodeterminar a deportação de qualquer estrangeiro consideradoculpado. </font></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#000080" size="2" face="Verdana">Segundo informações, osresponsáveis, em sua maioria, são jovens, pobres,desempregados, provenientes de grupos socialmente vulneráveis,constituindo, sobretudo, a segunda geração de Muçulmanos daÁfrica do Norte e Ocidental. Dados apontam que o desemprego dapopulação jovem na França é um dos mais altos da Europa,chegando a <b>23%</b>, sendo o desemprego dos jovens Muçulmanosna ordem de <b>40%</b>. Atente-se que na França há em média 5a 6 milhões de Muçulmanos, o que representa um terço do totalde Muçulmanos na União Europeia. </font></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#000080" size="2" face="Verdana">Os recentesacontecimentos ocorridos na França remetem à reflexão arespeito da relação entre discriminação e pobreza.</font></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#000080" size="2" face="Verdana">Os protestos conferiramvisibilidade à situação de alienação económica e social degrande parte da população Muçulmana, que por duas geraçõestem se isolado na hostilidade dos bandlieues ao redor de muitascidades francesas, com precárias condições de moradia,educação, transporte, ao que se soma o elevado desemprego,compondo um grave quadro de exclusão social. Reflectem, assim, olegado de mais de trinta anos de segregação étnica e socialdestas comunidades &#147;<b><i>guetizadas</i></b>&#148;, bem comoo fracasso do modelo de integração social do Estado francês,baseado fundamentalmente na óptica da integração individual. </font></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#000080" size="2" face="Verdana">Ainda que as medidas deemergência tenham tido o impacto inicial de reduzir o grau deviolência, tendo o Presidente <b><i>Jacques Chirac</i></b> empronunciamento esta semana revelado que serão elas estendidaspor mais três meses, a resposta repressiva e punitiva mostra-seabsolutamente insuficiente para enfrentar a complexidade doproblema.</font></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#000080" size="2" face="Verdana">A discriminação implicapobreza e a pobreza implica discriminação. Romper este ciclovicioso demanda a adopção não apenas de medidas repressivas epunitivas, mas também de medidas afirmativas e promocionais.Isto é, não basta apenas proibir a discriminação, já que anegativa de exclusão não traduz automaticamente a inclusão daspopulações mais vulneráveis. Além proibir a discriminação,faz-se fundamental tomar medidas que propiciem maiorespossibilidades de inclusão social dos grupos socialmentevulneráveis, o que compreende políticas sociais no campo daeducação, do trabalho, bem como políticas urbanas e dehabitação.</font></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#000080" size="2" face="Verdana">É a vertente promocionale não a vertente punitiva que é capaz de criar o sentimento depertença e um senso de identidade social. É a vertentepromocional que é capaz de romper com o isolamento dos guetos ecom a repulsa e a hostilidade da mútua exclusão entre ascomunidades excluídas e a sociedade que as exclui, permitindofluir a riqueza da diversidade e do multiculturalismo,convertendo muros em pontes compartilhadas. </font></p><p class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#000080" size="2" face="Verdana">O drama da sociedadefrancesa remete à experiência portuguesa dos orçamentosparticipativos. Assim que introduzidos, nas consultas populares arespeito das prioridades orçamentárias, as comunidadesperiféricas apontaram como escolha primeira e prioritária, oasfalto. Demandar asfalto, em sua simbologia, significa demandarpertença, integração e pavimentação social.</font></p>

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:23

Chuva de Verão

por neves, aj, em 24.11.05

Quase em simultâneo aobalde de scotch quegelou as bancadas do Dragão, no Porto, eram despejadas resmasde litros de chuva sobre a zona oeste dacidade de São Paulo...

Foi o bom e o bonito...os alagamentos desceram à cidade e o caos tomou conta dotrânsito... <ahref="http://noticias.uol.com.br/ultnot/assuntododia/chuva231105_album.jhtm?fotoabre=7"target="_blank">ohabitual</a>.

<ahref="http://noticias.uol.com.br/ultnot/assuntododia/chuva231105_album.jhtm?fotoabre=7"target="_blank"><imgsrc="http://img.photobucket.com/albums/v642/seven2005/chuva223nov.jpg"alt="image></a>
São Paulo, 23 de Novembro
<ahref="http://noticias.uol.com.br/ultnot/assuntododia/chuva231105_album.jhtm?fotoabre=7"target="_blank"><imgsrc="http://img.photobucket.com/albums/v642/seven2005/chuva123nov.jpg"alt="image></a>

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:08




  


calendário

Novembro 2005

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930



Comentários recentes


Ligações

SANTA COMBA DÃO

NOTÍCIAS NO VOZ

FUTEBOL NO VOZ

INFORMÁTICA NO VOZ

LUSO IN SÃO PAULO

FOTOS NO FACEBOOK