Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Desemprego aumenta...

por neves, aj, em 26.12.05

[Error: Irreparable invalid markup ('<fontcolor="#008080">') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<p align="center" class="MsoNormal" style="text-align:justify"><fontcolor="#008080" size="2" face="Verdana"><strong>(opinião deGoulart Medeiros</strong></font><font color="#008080"><b>)</b></font></p><div align="center"><center><table border="5" cellpadding="5" cellspacing="5" width="490"bordercolor="#FFFFFF"> <tr> <td align="center" bordercolor="#000080"><img src="http://img.photobucket.com/albums/v642/Seven2005/fotogoulart.jpg" alt="Image hosted by Photobucket.com" width="137" height="164"><br> <font face="Times New Roman" color="#008080" size="2"><b><i>GOULART MEDEIROS</i></b></font></td> <td><p align="justify"><font face="Times New Roman" color="#000080" size="4"><b>Desemprego aumenta em Portugal</b></font></p> <p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana"><strong>O desemprego é sempre um efeito directo de se viver sob o capitalismo. É usado pelos patrões para pagar salários baixos</strong></font><font size="4" face="Times New Roman">.</font> </p> </td> </tr></table></center></div><p align="justify"><a href="http://vozdoseven.weblog.com.pt/arquivos/215265.html"target="_blank"><font color="#0000FF" size="2" face="Verdana"><strong>quemé Goulart Medeiros</strong></font></a><br><a href="mailto:goulartmedeiros@hotmail.com"><fontcolor="#008080" size="2" face="Verdana"><b>goulartmedeiros@hotmail.com</b></font></a><br><a href="http://www.blog.comunidades.net/goulart/"target="_blank"><font color="#0000FF" size="2" face="Verdana"><b>GoulartMedeiros &#150; Democracia Directa</b></font></a></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">O desemprego ésempre um efeito directo de se viver sob o capitalismo. É usadopelos patrões para pagar salários baixos. Há muitas pessoasempregadas que trabalham por um salário mínimo. Isto é usadopara reprimir e fazer pressões sobre os trabalhadores. Anatureza caótica também conduz a uma crise regular que causa umvolumoso desemprego. </font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">O desempregonão acabará enquanto o sistema capitalista existir, mas hádemandas imediatas que podem ser avançadas. Deveriam serocupados quaisquer locais de trabalho ameaçado de encerramentoou falência. Os trabalhadores deveriam exigir seu emprego se umaempresa passar para um novo dono. Acredito que a diferença épequena, porque, para mim, nacionalização não existe. E nãoé nenhuma garantia de melhor salário ou segurança de trabalhoe não nos traz qualquer ideia de socialismo. Não há nenhumadiferença essencial entre um chefe que é criado numa empresaestatal e um que é empregador privado. Deveria existir uma menorcarga horária semanal de trabalho, o fim para as horas extras eo fim para todas as negociações de produtividade. Os saláriosbásicos deveriam ser altos o bastante de forma que ostrabalhadores não precisariam fazer hora extras. </font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Acredito que odesempregado não deveria aceitar nenhuma responsabilidade pelasituação. Os salários deveriam ser aumentadossubstancialmente. Onde possível, o desempregado deveria seorganizar para defender os seus direitos e unir com um movimentode sindicato mais amplo nacional e internacional.</font></p>

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:17

Multinacionais só lucram...

por neves, aj, em 26.12.05

[Error: Irreparable invalid markup ('<fontcolor="#008080">') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<p align="center"><fontcolor="#008080" size="2" face="Verdana"><strong>(opinião deGoulart Medeiros)</b></font></p><div align="center"><center><table border="5" cellpadding="5" cellspacing="5" width="520"bordercolor="#FFFFFF"> <tr> <td align="center" bordercolor="#000080"><img src="http://img.photobucket.com/albums/v642/Seven2005/fotogoulart.jpg" alt="Image hosted by Photobucket.com" width="137" height="164"><br> <font face="Times New Roman" color="#008080" size="2"><b><i>GOULART MEDEIROS</i></b></font></td> <td><p align="justify"><font face="Times New Roman" color="#000080" size="4"><b>Multinacionais só lucram com a precariedade no trabalho</b></font></p> <p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana"><strong>A insegurança de uma vida precária é o que este governo e o mercado têm para nos oferecer. Eu trabalho, tu trabalhas, ele trabalha, nós trabalhamos e </strong><em><strong>Eles Lucram</strong></em><strong>&#133;</strong></font></p> </td> </tr></table></center></div><p align="justify"><a href="http://vozdoseven.weblog.com.pt/arquivos/215265.html"target="_blank"><font color="#0000FF" size="2" face="Verdana"><strong>quemé Goulart Medeiros</strong></font></a><br><a href="mailto:goulartmedeiros@hotmail.com"><fontcolor="#008080" size="2" face="Verdana"><b>goulartmedeiros@hotmail.com</b></font></a><br><a href="http://www.blog.comunidades.net/goulart/"target="_blank"><font color="#0000FF" size="2" face="Verdana"><b>GoulartMedeiros &#150; Democracia Directa</b></font></a></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">A insegurançade uma vida precária é o que este governo e o mercado têm paranos oferecer. A independência a que tantos de nós aspiramostorna-se cada vez mais um sonho, porque ela depende dahabitação própria.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Acabaram com ocrédito jovem para a habitação restando apenas a hipótese dehipotecarmos as nossas vidas aos bancos, com empréstimos queatingem os 40 ou 50 anos de duração.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Os poucosprivilégios que os trabalhadores-estudantes tinham foramretirados da lei. O trabalho precário é cada vez mais o únicocenário possível, especialmente para os estudantesuniversitários. Na maior parte dos casos não existe um vínculocontratual e quando existe não é permanente. Os salários sãobaixos e os horários imprevisíveis. Tudo isto num país ondemenos de 10% da população tem uma licenciatura, e odesinvestimento na educação é cada vez maior: as bolsas deestudos escasseiam e são miseráveis, as propinas aumentambrutalmente. Os livros de estudo são caríssimos e o materialescolar e fotocópias são por nossa conta. Acabado o curso(quando se consegue acabar) as perspectivas de emprego pouco ounada melhoram.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">É preciso, epossível inverter esta situação. O melhor mesmo é actuarmospelas nossas mãos, <b>DEMOCRACIA DIRECTA</b> é precisa eurgente.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Nada fazem paraacabar com a fuga das grandes fortunas ao fisco nem com osoff-shores e passam uma factura demasiado alta aos trabalhadoresda função pública, aos estudantes, aos jovens trabalhadores,aos imigrantes e às mulheres que sofrem amplamente, não só coma precariedade mas também com a discriminação no acesso aoemprego e aos direitos conquistados.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Negam-nos osdireitos ao trabalho permanente mas também ao ensino público, auma habitação própria e à construção de uma vidaindependente. </font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Para os jovensde Portugal este problema é central. É tempo de crise, mas portodo o mundo, trabalhadores precários, de forma unida, consegueminverter esta situação.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">É precisoorganizar a luta pelos nossos direitos. Pelas 35 horas/semanais,pela efectivação de todos os contratados a prazo, pelo controledo trabalho temporário.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Nas Empresas deTrabalho Temporário podemos ganhar até 40% menos. Sãoraríssimos os trabalhos que duram mais do que seis meses emuitos duram dois ou três dias.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">O despedimentosem justa causa é totalmente livre, bastando uma ordem dopatrão.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">O trabalho empart-time aumentou na última década, as horas extraordináriasnão são pagas e os empregados não beneficiam das prestaçõessociais.</font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Na últimadécada o desemprego entre os jovens com menos de 25 anosaumentou, disparou em flecha. </font></p><p align="justify"><font color="#000080" size="2" face="Verdana">Eu trabalho, tutrabalhas, ele trabalha, nós trabalhamos e <b>Eles Lucram</b>&#133;</font></p>

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:14




  


calendário

Dezembro 2005

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031



Comentários recentes


Ligações

SANTA COMBA DÃO

NOTÍCIAS NO VOZ

FUTEBOL NO VOZ

INFORMÁTICA NO VOZ

LUSO IN SÃO PAULO

FOTOS NO FACEBOOK